segunda-feira, 3 de julho de 2017

Óleos Essenciais Florais e Cítricos Controlam a Ansiedade

Em algum momento de nossas vidas, todos nós experimentamos esse sentimento. A ansiedade é considerada uma reação natural diante de circunstâncias que causem expectativa, dúvida ou medo, como uma entrevista de emprego, uma viagem a um país desconhecido, uma cirurgia delicada...
Nessas situações, a ansiedade nos prepara para encarar o desafio, superando-o ou auxiliando na adequação às novas condições de vida.
Entretanto, quando a ansiedade persiste e foge ao nosso controle, caracterizando-se pela “preocupação excessiva ou pela expectativa apreensiva”, torna-se um distúrbio conhecido como Transtorno da Ansiedade Generalizada (TAG).
Esse distúrbio normalmente surge seguido por alguns desses sintomas: inquietação, irritabilidade, medo, tensão muscular, mente excessivamente ativa, insônia, cansaço, compulsão alimentar, entre outros.
Além disso, o nível de ansiedade torna-se desproporcional em relação às situações que causam o transtorno, gerando muito sofrimento e interferindo nas relações familiares, sociais e profissionais, comprometendo a qualidade de vida.
Em geral, as mulheres são mais vulneráveis ao transtorno da ansiedade, que pode afligir pessoas de qualquer idade.
A ansiedade pode estar relacionada ao estresse emocional em pessoas que tenham experimentado situações de violência, perdas e traumas.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o distúrbio precede ou sucede a depressão ou ambas podem coexistir em 70% dos casos.
Como há vários níveis de ansiedade, alguns podem ser controlados apenas com terapias alternativas. Em casos de TAG é preciso tratamento psicoterápico com profissional habilitado, contudo a aromaterapia pode ser associada.
Para que o tratamento da ansiedade seja bem-sucedido é necessário associar um estilo de vida e dieta alimentar saudáveis. A aromaterapia pode complementar o tratamento.

-Como os óleos essenciais auxiliam no controle da ansiedade?
Quando inalamos um óleo essencial, seu aroma é captado pelo cérebro através do sistema límbico, responsável pelas emoções e pelo comportamento.
-Como escolher os OEs que favoreçam o controle da ansiedade?
Em regra, os óleos essenciais florais possuem propriedades terapêuticas calmantes e relaxantes que ajudam a aliviar a ansiedade, como Lavanda, Rosa e Gerânio.


Óleos essenciais cítricos, como Laranja Doce e Bergamota ou Tangerina, também auxiliam no tratamento da ansiedade, especialmente quando acompanhada de depressão.


-Como usar os óleos essenciais?
Para se beneficiar das propriedades terapêuticas dos OEs diariamente podemos utilizar duas gotas de óleo essencial em um difusor pessoal ou colar aromático.
Observe o uso dos óleos essenciais cítricos, preferencialmente pela manhã. Enquanto que os OEs florais são mais recomendados à noite, cinco gotas diluídas em água num difusor aromático, para induzir a um sono reparador.
Também, uma massagem pode conduzir ao relaxamento. Misture 5 gotas de OE floral à 50 g de base neutra (loção ou creme). Massageie os pés antes de dormir.
A aromaterapia tem sido aplicada à saúde e ao bem-estar desde tempos imemoriais. Experimente os benefícios dos óleos essenciais!





sexta-feira, 16 de junho de 2017

Questões sobre Aromaterapia


Já dizia o filósofo grego Aristóteles, lá na Antiguidade, que “A dúvida é o princípio da sabedoria”.
Na medida em que busco conhecimentos sobre aromaterapia surgem dúvidas, entre as quais, qual a quantidade de óleo essencial devo usar? Quais os óleos essenciais que devo adquirir para começar a terapia com aromas? Como devo conservar os óleos essenciais?
Para esclarecer minhas dúvidas procuro informações em livros, sites, blogs... 

Entre os livros encontrei Abordagem Sistêmica da Aromaterapia, de autoria de Sâmia Maluf, fundadora da By Sâmia, uma das marcas pioneiras na produção de óleos essenciais no Brasil.]
A By Sâmia possui um site (www.bysamia.com.br) com informações sobre a empresa, produtos e serviços. E Sâmia Maluf criou um blog samiamaluf.blogspot.com.br no qual posta informações sobre aromaterapia e interage com pessoas interessadas no assunto.

Como sabia, os óleos essenciais devido sua concentração, em geral, devem ser diluídos em óleos carreadores (óleos vegetais) ou bases neutras (loção, creme ou gel creme) que auxiliam em sua atuação no corpo.

Mas qual a quantidade de óleo essencial devo usar?
Segundo Sâmia, 1 ml de óleo essencial equivale a 25 gotas e sua diluição em óleo vegetal pode variar de 1 a 4%, conforme a indicação:
  •        Gestantes e bebês de até 6 meses – 0,25%
  •        Sinergia facial – 0,5%
  •        Peles sensíveis e massagem facial – 1%
  •        Massagem corporal – 2%
  •        Pequenas áreas (dores localizadas) – 4%
Na prática, para uma massagem corporal, por exemplo, utiliza-se 50 gotas de óleo essencial em 100 ml de óleo vegetal. Portanto, a mistura contém 2% de OE.
Se for necessário aumentar ou diminuir as quantidades é importante manter a proporção aplicando a “regra de três” da Matemática.

Outra dúvida, quais os óleos essenciais devo adquirir para começar a experimentar os benefícios da aromaterapia?
Sâmia sugere os óleos essenciais de Alecrim, Tea Tree (Melaleuca), Hortelã-pimenta e Lavanda (o meu preferido), devido a suas indicações diversas no tratamento de sintomas comuns.

E, também, como devo conservar os óleos essenciais?
Segundo Sâmia, os óleos essenciais devem ser guardados em local fresco e arejado, ao abrigo da luz. É indispensável manter a tampa fechada, pois as substâncias são voláteis, podem evaporar e, também, oxidar em contato com o ar.

Uma dúvida comum aos iniciantes em aromaterapia: posso substituir o óleo essencial por essência aromática?
Sâmia é categórica: Não! As essências são misturas sintéticas, diferentes dos óleos essenciais que são 100% naturais e não oferecem propriedades terapêuticas.

Uma palavra recorrente em aromaterapia é sinergia. O que significa?
É uma combinação de óleos essenciais que, segundo Sâmia, necessita de muito conhecimento, experiência e intuição. Uma boa sinergia potencializa as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais combinados.

E, ainda, que materiais são indicados na manipulação dos óleos essenciais?
São indicados pela aromaterapeuta recipientes de vidro, porcelana ou cerâmica para misturar óleos essenciais entre si, com óleos carreadores ou bases neutras.
Recipientes de plástico e metal não são recomendáveis, pois interferem nas propriedades terapêuticas dos óleos essenciais.

Dúvidas? Sempre as tenho e sempre serão minha certeza!







sábado, 10 de junho de 2017

As Mais Belas Pinturas de Lavandas


Há muitos anos cultivo uma amizade para a vida toda. Temos muitas coisas em comum, especialmente o gosto pelas artes e pelo estilo Shabby Chic de viver. 
Eu e minha querida amiga Ana Vichara Barcellos compartilhamos delicadezas. A amizade que nos une me faz muito bem ...
Em minha  última postagem sobre o óleo essencial de Lavanda, chamou minha atenção o comentário da amiga Ana sobre a beleza da "figura" da Lavanda, que é frequentemente usada na decoração de peças artesanais que tanto apreciamos.
A Lavanda, com suas nuances de azul, violeta e roxo dá vida e beleza a decoração e delicadeza ao estilo Shabby quando se apresenta em suaves tons .
Então, em reconhecimento a nossa "amizade para sempre" escolhi entre as imagens que guardo com carinho, algumas pinturas da web para presentear, especialmente, minha amiga querida.
São watercolours - aquarelas - onde cada artista expressou sua visão da planta e da paisagem, algumas com pinceladas suaves, outras mais vigorosas que fazem lembrar a pintura espatulada de Vincent Van Gogh
Cada pintor uma linguagem, mas todas de rara beleza, assim como as Lavandas.
Espero que lhe agrade, Ana, e a todos que visitarem este blog. 
Beijos e abraços com cheirinho de Lavanda!











quinta-feira, 8 de junho de 2017

Lavanda, o mais versátil entre os óleos essenciais

Como havia mencionado, são muitos os benefícios do óleo essencial de Lavanda, tantos que merecem uma postagem exclusiva sobre o assunto. Então, vamos a ela!


A História da Lavanda

O uso da planta conhecida cientificamente como Lavandula officinalis, segundo pesquisas históricas remete a Antiguidade Oriental. Há mais de 3 mil anos os egípcios usavam a lavanda no processo de mumificação – a planta auxiliava na preservação do corpo – e, também para ungir (aplicar o óleo) nos pés.


No Ocidente, o uso da lavanda (do latim "lavare", "lavar") foi difundido pelos gregos e romanos.
Diógenes de Sinope, filósofo grego que pregava uma vida natural, costumava orientar seus discípulos a usar corretamente o perfume da planta: “Quando, você unge a tua cabeça com perfume, ele voa para longe no ar e só os pássaros recebem o benefício do mesmo; no entanto, se você a esfrega em seus membros inferiores, todo o seu corpo e gratidão ascendem ao seu nariz”. Diógenes tinha conhecimento da volatilidade – evaporação – do aroma da lavanda!
Já os romanos usavam a lavanda para lavar roupa, tomar banho, aromatizar ambientes e como produto medicinal, por suas propriedades antissépticas, e também, como repelente natural, contra insetos.


A lavanda, também é citada na Bíblia, em Marcos 13, com o nome pelo qual era conhecida na época, nardo: Estando ele (Jesus) em Betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosíssimo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus”.
Na Europa Medieval, a planta era cultivada nos mosteiros, nos chamados jardins de enfermeiro.

A nobreza europeia colocava a lavanda em seus baús e camas para proteger as roupas das traças e percevejos e, pasmem, misturava a planta com carvão para “escovar’ os dentes!
Hoje, sachês aromatizados com o OE de Lavanda são usados para perfumar as roupas, conferindo um agradável aroma e repelindo insetos.
Rainhas europeias, como Elizabeth I, utilizavam a lavanda de diversas formas, como para preparar o chá com suas flores, se perfumar e preparar a água do banho.
Atualmente, as mulheres da família real britânica, ainda usam o chá das flores da planta para aliviar os enjoos durante a gestação e, também se banham com gotas do óleo essencial de Lavanda.
Como a História demonstra, o OE de Lavanda é o mais versátil entre todos os óleos essenciais, conduz ao bem-estar, sendo um estabilizante, quando se está agitado, ele acalma e quando se está depressivo, ele eleva o ânimo.



Alta Concentração em Pequenas Áreas

Hoje, o OE de Lavanda é um dos mais recomendados em aromaterapia, por suas propriedades terapêuticas.
O uso do óleo essencial puro, em regra não é indicado devido a sua alta concentração. Mas a Lavanda é a exceção à regra! Muito suave, o óleo essencial de Lavanda pode ser aplicado sobre a pele sem diluição. É indicado no alívio de queimaduras, por seu efeito analgésico, calmante e cicatrizante.
Mas use com CUIDADO! Utilize o OE puro no máximo por três dias. Se o tratamento exigir mais tempo é melhor escolher uma base neutra (loção, creme ou gel creme) e preparar a mistura para uso contínuo, sem correr riscos.
Para fazer uso contínuo do OE de Lavanda em pequenas áreas, use uma gota de OE para cada três gotas de óleo carreador (vegetal), como amêndoas doces, semente de uva, abacate, gérmen de trigo, entre outros. Não use a mistura por mais de sete dias, pois poderá ocorrer saturação.


Equilíbrio do Corpo, Mente e Espírito

As propriedades analgésicas do OE de Lavanda aliviam dores musculares e sintomas de gripes e resfriados, asma, bronquite e infecções das vias respiratórias.
Rudolf Steiner, fundador da medicina antroposófica, abordagem fundamentada no entendimento que considera bem-estar e doenças eventos ligados ao corpo, mente e espírito humano, sugeriu que a lavanda estabiliza os corpos físico, etérico e astral, propiciando um efeito positivo sobre problemas psicológicos.
Entre as principais indicações do OE de Lavanda estão o alívio dos sintomas de distúrbios emocionais, como insônia, depressão e estresse.
A grande quantidade de propriedades terapêuticas do OE de Lavanda torna o assunto inesgotável.

Portanto, suas aplicações e benefícios serão, certamente tema para tantas outras postagens. Não perca!


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Óleos Essenciais - Modo de Usar

Existe diferentes formas de desfrutar das propriedades terapêuticas dos óleos essenciais como, inalação, compressas, escalda-pés, banho de chuveiro, banho de imersão, massagem, aromatização ambiental.  
A forma mais apropriada é sempre circunstancial, depende da ocasião. Entenda cada uma das aplicações.


Atenção! Como óleo e água não se misturam, é necessário diluir o óleo essencial em 1 colher (chá) de óleo carreador (óleo vegetal) ou álcool de cereais antes de adicioná-lo na água.

Inalação – é a absorção direta do óleo essencial diluído e evaporado. Essa forma é indicada, especialmente, no alívio dos sintomas de doenças respiratórias, como gripes e resfriados, entre outras aplicações.  
Em um recipiente com água quente, coloque de 6 a 8 gotas do óleo essencial indicado, diluído em óleo vegetal, por litro d’água, cubra a cabeça com uma toalha e aspire o vapor por cerca de 10 a 20 minutos. Proteja os olhos com uma máscara adequada.
Uma outra forma de inalar óleos essenciais é colocando algumas gotas na palma da mão, friccionando levemente e sobrepondo ambas as mãos em forma de concha sobre o nariz e a boca.


Compressas – são aplicadas frias ou quentes conforme a indicação, ambas têm efeito analgésico e anti-inflamatório, diminuindo inchaço e edema. Vejamos cada uma das indicações:
·       Compressas frias são indicadas imediatamente após contusões e nas primeiras 48 horas depois do trauma, também nos inchaços, dores de cabeça e febres.
·       Compressas quentes são indicadas nas infecções, edemas e hematomas, não tratados nas primeiras 48 horas após o trauma. Recomendadas no alívio de dores musculares, reumáticas, de ouvido e cólicas menstruais.
A aplicação em ambos os tratamentos consiste em colocar a compressa umedecida com OE diluído em água sobre a extensão desejada, mantendo a temperatura, por no mínimo 15 minutos. De tal modo, o óleo essencial atua através da penetração nos tecidos estimulando o tratamento. É recomendável o uso de 5 a 8 gotas de OE, diluído em óleo vegetal, em 1 litro d’água fria ou quente, conforme indicado.


Escalda-pés ou Pedilúvio – é a imersão dos pés, até a região do tornozelo, em recipiente com óleo essencial diluído em água quente (no inverno) ou fresca (no verão). É recomendável o uso de 6 gotas do OE, diluído em óleo vegetal, em 4 litros de água.
O escalda-pés tem o poder de relaxar corpo e mente, assim, melhor prepará-lo meia hora antes de dormir à noite. É especialmente eficaz no alívio dos sintomas de gripes e resfriados, insônia, dores de cabeça (dizem os chineses: “pés quentes, cabeça fria! ”), amenorreia (ausência de fluxo menstrual), entre outras indicações.


Banho de chuveiro – não é necessário ter uma banheira para desfrutar dos benefícios dos óleos essenciais.
Uma forma simples e eficaz de usar OE no chuveiro é misturar em um pequeno recipiente 3 gotas de óleo essencial de sua preferência e uma colher de sopa de óleo vegetal e espalhar por todo o corpo fazendo uma auto-massagem. Enxague-se ao final do banho.
Experimente, também, adicionar algumas gotas de seu óleo essencial preferido ao shampoo. O OE de Alecrim é especialmente indicado no combate a queda de cabelo, a caspa e auxilia no crescimento capilar.
Mais uma dica, costumo acrescentar óleo essencial de Lavanda em meu shampoo de mesmo aroma, assim potencializo seus benefícios.
Considerado o mais versátil entre os óleos essenciais e o mais eficaz em relaxar as ondas cerebrais e reduzir o estresse, o OE de Lavanda é o meu preferido!
São muitos os benefícios do OE de Lavanda, tantos que merecem uma postagem exclusiva sobre o tema.


Banho de imersão – poderoso hidroterápico, o banho é realizado em uma banheira com água quente ou fresca, conforme a necessidade. O banho de imersão induz ao relaxamento e tem efeitos potencializados pelo uso dos óleos essenciais.
Para desfrutar de seus benefícios, em um recipiente dilua o óleo essencial indicado em óleo carreador, na proporção de 5 a 10 gotas de OE para uma colher de sopa de óleo vegetal. Adicione a água na banheira e mergulhe por no mínimo 20 minutos.
É possível, também, acrescentar até três qualidades de óleos essenciais, combinados entre si, totalizando dez gotas.
Atenção! Não realize banho de imersão após as refeições. Aguarde, no mínimo, duas horas.

Massagem - os óleos essenciais nutrem a pele e proporcionam benefícios de acordo com suas propriedades. Escolha o óleo carreador de acordo com o seu tipo de pele.
A cada 3 colheres de sopa de óleo vegetal, quantidade suficiente para massagear o corpo inteiro, adicione até 20 gotas de óleo essencial.
É possível, também, acrescentar até três qualidades de óleos essenciais, combinados entre si, totalizando vinte gotas.
Ainda, se preferir, coloque os óleos essenciais diretamente em um frasco contendo uma base neutra (loção, creme ou gel creme), conforme seu tipo de pele. Para 120 ml de base neutra use até 60 gotas de óleo essencial.


Aromatizador de Ambientes -  existe diferentes tipos de difusores de aromas, desde o mais simples, com um réchaud acompanhado de uma vela para aquecer o recipiente onde é colocada a água e as gotas do óleo essencial, até os aromatizadores elétricos.
A água aquecida pela vela fará evaporar o OE, substância altamente volátil.
Nunca use óleo vegetal em difusor ou aromatizador de ambientes.
Escolha o OE mais indicado para sua necessidade ou finalidade.
Para um ambiente de 20 m² coloque no réchaud de 10 a 20 gotas de óleo essencial com um pouco de água.
É possível, também, acrescentar até três qualidades de óleos essenciais, combinados entre si, totalizando vinte gotas.
Uma dica especial, para um spray ambiental (use um pulverizador de plantas) adicione até 120 gotas de óleo essencial (ou três qualidades combináveis entre si), três colheres de sopa de álcool de cereais ou vodca e complete o frasco com água. Agite bem antes de pulverizar no ambiente ou nas roupas para passar.


Nas próximas postagens vou aprofundar as informações sobre as propriedades dos óleos essenciais mais usados e, também compartilhar algumas receitinhas. Não perca!






sexta-feira, 2 de junho de 2017

Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais by Beth Ribas Artdeco

Inspirada na Aromaterapia estou confeccionando Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais - sem uso de máquina de costuraem tecido 100% algodão, com diversas estampas e enchimento de fibra siliconada. 


Os Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais contém ervas naturais aromáticas e óleos essenciais com propriedades terapêuticas.
São anatômicos e podem ser usados diretamente sob a cabeça, sobre a testa e o nariz ou entre a fronha e o travesseiro, proporcionando qualidade ao sono, conforto e bem-estar.
O aroma perdura aproximadamente 12 meses. É indicado colocar o produto ao sol a cada 15 dias para reativar as propriedades terapêuticas das ervas naturais aromáticas e dos óleos essenciais.
O uso dos Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais não substitui qualquer tratamento médico.


Os Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais são produzidos em quatro versões com diferentes finalidades:
  • Estimulante, com aroma de Alecrim (Rosmarinus officinalis);
  • Tranquilizante, com aromas de Camomila Romana (Anthemis nobils) e/ou Funcho - Erva-Doce (Foeniculum vulgare var Dulce);
  • Revigorante, com aroma de Eucalipto (Eucalyptus staigeriana);
  • Equilibrante, com aroma de Lavanda (Lavandula officinalis).

Atendendo a pedidos estou confeccionando, também, Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais com propriedades terapêuticas que aliviam os sintomas de gripes e resfriados como, tosse e congestão nasal, e sinusites e rinites. 
"Batizados" com o sugestivo nome Inspire Mix, os Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais são muito úteis, especialmente, no outono/inverno. 
O produto contém um mix de ervas naturais aromáticas: Eucalipto, Hortelã e Alecrim e dois óleos essenciais Eucalipto (Eucalyptus Staigeriana) e Alecrim (Rosmarinus officinalis), com propriedades terapêuticas.
Encomende o seu Mini Travesseiro Aromático Artesanal e experimente os benefícios dos óleos essenciais!



Mini Travesseiros Aromáticos Artesanais

By Beth Ribas Artdeco